Família Featured

O fenômeno “unboxing”: os vídeos que mostram brinquedos sendo abertos

Fenômeno Unboxing: seus filhos fascinados por embalagens de brinquedos sendo abertas

Fenômeno Unboxing: seus filhos fascinados por embalagens de brinquedos sendo abertas

A coisa começou do nada e sem que até hoje tenhamos descoberto como nossa filha mais nova, com três anos de idade, chegou a eles. Temos por prática deixar que elas usem um tablet ou smartphone por algum período durante o dia, geralmente à noite, quando já cumpriram suas obrigações. Mas, em vez de brincar com alguns dos jogos que baixamos, a menor passou a pedir “pelos vídeos de massinha”.

Num primeiro momento achei que era uma curiosidade dela apenas, afinal a mais velha não vê graça nesses tais vídeos. Começamos a notar que o prazer dela em assisti-los tinha a ver com o processo de surpresa ao abrir uma embalagem de brinquedo, mesmo que o ‘apresentador’ falasse inglês. A situação foi crescendo até um ponto em que passei a conferir o que chamava tanto a sua atenção. E dá-lhe vídeos de Kinder Ovos, Elzas de massinha, Monster High, Polis e por aí vai. Alguns até bem montados, outros toscos de doer. O impressionante é que canais como o CookieSwirlC têm mais de 2 milhões de assinantes e vídeos com quase 20 milhões de visualizações!

Aquilo nos preocupou embora continuasse sendo algo aparentemente restrito a ela até que li numa matéria recentemente o termo “unboxing” e descobri que se tratava de um fenômeno mundial.

Desejo de descobrir

Por incrível que me pareceu, o “unboxing” é antigo para os padrões da internet: teria começado há cerca de 10 anos, mas no setor de TI quando alguns pioneiros começaram a gravar vídeos explicando o funcionamento de gadgets. De fato, até hoje eu utilizo esses vídeos para resolver dúvidas no trabalho afinal é mais fácil ver algo sendo feito do que aprender lendo apenas.

Daí os vídeos explicativos migraram para outros setores, incluindo o de automóveis onde atuo e vejo fazer sucesso justamente os vídeos em que muitas vezes jovens explicam todas as funções possíveis de um carro mesmo que a gravação dure quase uma hora.

A estratégia de estimular o interesse por produtos já foi descoberta pelas empresas há tempos

Ou seja, se para nós parece interessante imagine para os pequenos. Ver outra criança ou outro adulto abrindo uma embalagem e compartilhando seu conteúdo é algo irresistível para elas, não importa a qualidade da produção, do carisma do apresentador (muitas vezes apenas mãos!) ou do tempo de duração.

Soa como consumismo, algo que abominamos, mas até agora não percebemos uma vontade irrefreável de comprar esses produtos na nossa caçula. A explicação dada por um artigo da BBC é curioso: esse sentimento seria semelhante ao que nós tínhamos na nossa infância ao colecionar um álbum de figurinhas e não ter todas elas. Acabávamos mostrando nossos álbuns para amigos e vice-versa em busca de figurinhas que não possuíamos.

De toda forma, a estratégia de estimular o interesse por produtos já foi descoberta pelas empresas há tempos, que aproveitam para enviar amostras para esses “Youtubers” em busca de divulgação de baixo custo. Em outras palavras, é bom ficar de olho no histórico do Youtube e no tempo que nossos filhos passam “compartilhando sua curiosidade em abrir embalagens”.

 

Sobre o autor

Ricardo Meier

Jornalista do setor automotivo há 13 anos, tenta ajudar no que pode no dia a dia dos filhos, apesar de já ter até derretido mamadeira esquecida na panela.

Deixe um comentário

Secured By miniOrange