Alimentação

Suco ou refrigerante: qual bebida tem mais açúcares?

Refrigerante ou suco industrializado: qual traz mais açúcar?

Refrigerante ou suco industrializado: qual traz mais açúcar?

Alguns devem ter a mesma lembrança que a minha a respeito de refrigerantes. Era uma bebida sinônimo de festa na minha infância. Aniversários, datas especiais e, com algumas exceções, uma oportunidade que surgia de bebê-lo em passeios. Para um almoço com os avós, bastava uma garrafa de vidro de um litro de Coca-Cola e todos estavam satisfeitos. Quanta diferença de hoje…

Consumimos refrigerantes como água e confesso que senti o baque de ter de maneirar na degustação de guaranás, sodas e até de tubaínas – sim, eu sou fã dela, embora não tenha o mesmo charme da que comprava quando era criança, em garrafas recicladas de cerveja!

Graças às nossas filhas, a presença de refrigerante em casa foi reduzida drasticamente. E se estamos fazendo uma refeição com elas damos preferências aos sucos naturais, feitos pela Renata (e que valem um post à parte).

Mas nem sempre dá tempo e aí recorremos aos sucos industrializados. Depois de experimentar tantas marcas nesses mais de seis anos, geralmente optamos pela linha Frutt´s, da Superbom, e pelos sucos de maçã da Sanjito e da Greenday, cuja propaganda reforça o argumento de serem “sucos integrais” sem adição de conservantes.

Bem, mas então está resolvida a questão? Muito longe disso. Sucos industrializados e refrigerantes têm algo em comum, o excesso de açúcares. Confesso que acreditava que, mesmo assim, os sucos ficassem bem longe dos níveis encontrados nos refrigerantes, mas não é bem assim.

O site Foodmed publicou um interessante comparativo entre alguns refrigerantes conhecidos e o suco Del Valle, um dos mais vistos nas gôndolas do supermercado. E não é que o suco tem bem mais açúcar que o tão “recriminado” refrigerante?

Bebibas industrializadas: se puder, evite (foto: Foodmed)

Bebibas industrializadas: se puder, evite (foto: Foodmed)

Segundo a embalagem deles, uma Pepsi traz 39 g de açúcar em uma lata de 350 ml. Já o Del Valle de uva possui nada menos que 49 g numa porção menor, de 335 ml. Ambos estão bem acima dos valores diários recomendados pela OMS – que é de 25 g por dia. Isso mesmo: só uma latinha de um dos dois já quase dobra nossa necessidade diária, sem contar outros produtos que consumimos.

Cadê a informação?

Diante desses dados, corri para ver como nossos sucos “eleitos” aqui em casa estavam em relação aos produtos analisados pelo site. Pois bem, nem a Superbom nem a Sanjito informam claramente esse dado. Já o suco da Greenday me fez pensar no pior: são 28 g de açúcar, mas numa quantidade bem menor de suco – apenas 200 ml. Ou seja, se fosse uma lata igual a de Pepsi estaríamos falando de 42 g de açúcares! Mas na embalagem, a empresa diz que são “açúcares naturais” e não adicionados, o que é um alívio de certa forma.

Obviamente que essa constatação não significa que os refris deixaram de ser vilões (não adianta, não vou poder curtir minha tubaína em paz), afinal eles trazem mais substâncias nem um pouco saudáveis. Mas deixa claro que o consumo dessas bebidas industrializadas têm de ser a menor possível em nossas famílias, mesmo que nossas mãos doam no espremedor.

Sobre o autor

Ricardo Meier

Jornalista do setor automotivo há 13 anos, tenta ajudar no que pode no dia a dia dos filhos, apesar de já ter até derretido mamadeira esquecida na panela.

1 comentário

  • Tem uma propaganda da Coca Cola que chega a dar nojo! “Diz: Neste Natal agradeça com Coca Cola!!! Eu? Essa empresa passou a nos roubar esse ano sem dó nem piedade! A coca lata de 350ml diminuiu para 310ml. A de 250ml passou para 220ml e o suco Del Valle de 335ml para 290ml e misturando no suco de pêssego, o suco de macã! O pior é que basta colocar escrito na lata a redução e a mistura, que tá tudo certo! Neste País se rouba de tudo quanto é lado! Se você concorda, publique no seu facebook a nossa indignação!

Deixe um comentário

Secured By miniOrange