Afinal, frango tem ou não hormônios?

Campanha da Sadia, que garante que seus produtos não têm hormônios
Campanha da Sadia, que garante que seus produtos não têm hormônios
Share
Campanha da Sadia, que garante que seus produtos não têm hormônios

Campanha da Sadia, que garante que seus produtos não têm hormônios

A campanha da Sadia aproveitou uma suposta lenda urbana que existem hormônios em excesso nos frangos vendidos no mercado, sobretudo os industrializados. Cansei de ouvir minhas avós e tias dizerem que “antigamente frango não era assim, etc”.

Li recentemente que Ubabef, a União Brasileira de Avicultura, garantiu que o frango produzido no Brasil não tem hormônios nem conservantes. Até o Ministério da Agricultura entrou na história autorizando os produtores a colocarem em seus produtos os dizeres: “Sem uso de hormônio, como estabelece a legislação brasileira”.

Que bacana, tudo, então, está esclarecido. Mas não está. Minha filha mais velha, hoje com 4 anos, teve uma amiguinha no berçário há três anos que precisou parar de comer frango porque havia sinais de desenvolvimento nos seios – isso com apenas um ano de idade.

Desde aquela época passamos a comprar frangos da marca Korin, que são criados sem hormônios, segundo a embalagem.

Mais recentemente, um caso em família apontou a mesma causa. Uma priminha, também na faixa de um ano, passou pelo mesmo problema e a recomendação da pediatra foi cortar o frango e também os ovos da dieta da criança.

Certamente, muita gente deve ter conhecer casos semelhantes, o que evidencia que há algo de errado entre o que divulgam as marcas, associações e governo e o que pensam médicos. E nós estamos no meio dessa desinformação.

Se não é o frango que causa esse problema, então do que se trata?

Renata Meier

Formada em Letras, é atualmente assistente executiva. Apesar da carreira, sempre teve em mente o objetivo de criar seus filhos de perto, vivenciando ao máximo cada momento deles.

You may also like...

Secured By miniOrange